Invista Brasil

Como pagar menos Imposto de Renda investindo em previdência privada

Desde o dia 2 de março, a Receita Federal está recebendo a Declaração do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF) 2017. A taxa cobrada pelo governo diz respeito aos ganhos das pessoas, como salários, aluguéis, prêmios de loteria e outros, sendo o valor pago proporcional à renda, ou seja, quem recebe mais, paga mais e vice-versa. Apesar de ser um ressarcimento obrigatório, todo mundo busca formas de diminuí-lo. Afinal, quem é que gosta de pagar um imposto alto?

Algumas despesas feitas no ano anterior podem ser abatidas na declaração, o que faz com que o contribuinte pague menos imposto. Gastos com saúde, educação e dependentes são exemplos de deduções mais comuns. Mas você sabia que também é possível pagar menos Imposto de Renda ou aumentar o valor da restituição por meio da previdência privada?

Se quiser saber se vale a pena investir em previdência para pagar menos IR e como pode fazer isso, continue lendo o artigo.

Modelos de declaração

Antes de saber mais sobre os investimentos em previdência privada, é necessário entender sobre os dois modelos de declaração existentes: simplificado e completo. A escolha entre eles depende basicamente do tamanho das despesas que o contribuinte possui para abater.

O modelo simplificado pode ser utilizado por qualquer pessoa e é a melhor opção para quem não tem muitas despesas para deduzir. Utiliza um abatimento padrão de 20% sobre a soma de todos os rendimentos tributáveis recebidos ao longo do ano anterior, sendo esse abatimento limitado a R$16.754,34.

O modelo completo é indicado para quem tem muitas despesas para deduzir, como gastos com plano de saúde, educação e dependentes. Nele, é necessário informar todos os gastos e rendimentos ocorridos no ano anterior e guardar os comprovantes por, no mínimo cinco anos, já que a Receita pode exigir provas de despesas nesse período.

Previdência privada: Plano PGBL

A legislação permite que você deduza, da base de cálculo do imposto de renda, os valores pagos para previdência complementar do tipo Plano Vida Gerador de Benefício Livre (PGBL) até o máximo de 12% dos seus rendimentos.

Imagine que a sua renda bruta tributável (somente de salário, por exemplo) seja de 100 mil reais. Neste caso, até 12 mil reais poderiam ser deduzidos se estivessem aplicados em um plano PGBL. Ou seja, a base de cálculo do imposto passaria a ser de 88 mil reais.

Planos PGBL em nome de dependentes também podem ser incluídos dentro da porcentagem. Se ele for maior de 16 anos, no entanto, também deverá contribuir para a previdência oficial.

Requisitos

Para que o investimento em previdência privada seja efetivo na redução do pagamento do Imposto de Renda é preciso que o plano seja tipo PGBL, já que nos planos VGBL, o IR incide apenas sobre os rendimentos, e não sobre a totalidade da aplicação. Além disso, a declaração do IR tem que ser feita no modelo completo, ou seja, esse tipo de plano só é recomendado para quem tem muitas despesas passíveis de dedução, como dependentes e gastos com médicos e educação.

Além dos requisitos, existem ainda outros pontos a serem observados, como o custo com taxas de administração e de carregamento, gestor, carteira de fundo e modelo de tributação. Por isso, recomenda-se a consultoria de um planejador financeiro antes da contratação de algum plano.

Você está pronto para utilizar a previdência privada de maneira inteligente e diminuir os custos com o Imposto de Renda? Aproveite os conhecimentos adquiridos no artigo e procure um consultor financeiro!

Controlar seu orçamento é o primeiro passo para o enriquecimento

Super planilha gratuita para seu controle financeiro

Por Conrado Navarro e Ricardo Pereira

Preparamos uma poderosa planilha que vai ajudar você amanter seu orçamento em dia, mostrando onde você precisa melhorar, quanto poderá separar para investir e muito mais.

Saiba mais